Santos e ícones Católicos

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Santo Hilário de Poitiers

Origem

Hilário era francês e teria nascido em 315. Sua família era rica e pagã. Ele recebeu uma boa educação e buscava, na filosofia, respostas para sua busca sobre a verdade, encontrando-as somente no Evangelho, o que o levou à conversão ao cristianismo. Seu batismo aconteceu aos 30 anos de idade. Com ele foram batizadas sua esposa e filha, Abrè. Desde então, hilário guiava sua família dentro dos ensinamentos cristãos.

Bispo de Poitiers

A Igreja vivia um tempo de paz externa depois de um período de perseguições, mas precisava de um fortalecimento interno. Entretanto, alguns problemas ainda precisavam ser combatidos, como, por exemplo, a doutrina ariana, considerada herética, que negava a divindade Jesus Cristo.

Vida exemplar

Hilário era conhecido pela vida exemplar, bem como por seus conhecimentos espirituais e intelectuais. Por essa razão o clero queria o elegê-lo bispo. A decisão era difícil para ele, pois teria que abandonar parcialmente sua família. Mas ele aceitou o desafio. Ao ser sagrado bispo de Poitiers, impôs uma luta para acabar com o arianismo. Hilário debatia com os hereges e defendia sua fé, tornando-se conhecido e respeitado por suas convicções e argumentos. Por este motivo passou a ser chamado de “o Atanásio do Ocidente”.

Combatendo as heresias

Sua valentia e coragem no combate aos hereges fez com que a comunidade aumentasse o respeito a ele. Uma frase de sua própria autoria passou a defini-lo perante a sociedade: “Enganam-se os que acreditam que me farão calar. Falarei pelos escritos, e a palavra de Deus, que ninguém pode aprisionar, voará livre”.

Exílio

Por causa de sua defesa do Evangelho, Hilário sofreu perseguição do imperadores e foi exilado para Oriente. Mas isso não o abalou. Ele aproveitava o tempo para estudar. Aprendeu o grego, conheceu as mais antigas comunidades cristãs e os ensinamentos dos sábios da Igreja. Assim, ele fortalecia sua missão a cada dia.

Exílio produtivo

Durante o exílio que durou cinco anos, Hilário escreveu livros, dois deles contra os imperadores Constâncio e Auxêncio. Escreveu sobre a Santíssima Trindade, comentários dos Salmos e outras obras de interpretação. Seus estudos e escritos contribuíram intensamente para o aprofundamento e desenvolvimento da teologia da revelação.

Beleza da liturgia oriental

Hilário se impressionou com a liturgia oriental. Porém, compôs alguns hinos litúrgicos que o ajudavam a se familiarizar com os fiéis, com a teologia, mantendo as pessoas mais unidas às celebrações. Ao retornar para a França e reassumir sua diocese, ofereceu aos fiéis tudo o que tinha aprendido no exílio.

Família

Hilário não abandonou sua família em nenhum momento da vida. Ele ministrou o sacramento do matrimônio à filha e sua esposa entrou para a vida monástica com a sua ajuda e aprovação.

Morte e canonização

Hilário faleceu em 367 e os fiéis já começaram a venerá-lo com o santo. Ele foi canonizado pelo Papa Pio IX e honrado com o título de “Doutor da Igreja”. Sua festa é celebrada no dia 13 de janeiro. Santo Hilário é o padroeiro dos combatentes de heresias e o defensor da seriedade na vivência do santo evangelho.

Oração

“Ó Deus, que marcastes pela vossa doutrina a vida de Santo Hilário de Poitiers, concedei-nos, por sua intercessão, que sejamos fiéis à mesma doutrina, e a proclamarmos em nossas ações. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.”

Veja alguns produtos de Outros Santos