Santos e ícones Católicos

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . São José de Anchieta

O Apóstolo do Brasil

Origens

José de Anchieta nasceu em São Cristóvão da Laguna, no dia 19 de março de 1534. Sua família era descendente de nobres. Sua cidade natal fica na ilha de Tenerife, que faz parte do arquipélago das Canárias, pertencente à Espanha. Ele viveu na ilha, em companhia de seus pais e irmãos somente até os quatorze anos. Percebendo a inteligência e aptidão para os estudos, seus pais o enviaram para a Universidade de Coimbra, Portugal, para que continuasse seus estudos, em companhia de um irmão mais velho que já estudava lá. Desse momento em diante, José de Anchieta nunca mais viu seus pais. Apenas se comunicaram através de cartas.

Um jovem cativante

José de Anchieta era um jovem alegre, muito inteligente, simpático e querido por todos. Revelou-se um excelente escritor, leu e se deixou influenciar pelos escritos de São Francisco Xavier, o jesuíta evangelizador da Ásia. Tinha a veia poética, era um declamador talentoso. Por causa desses dotes, recebeu o apelido de “Canarinho”.

Solidão fecunda

Por outro lado, José de Anchieta apreciava a solidão. Não o isolamento, mas o afastamento para momentos de oração profunda, de leitura edificante e contemplação. Foi num desses momentos de oração na Catedral de Coimbra, quando tinha dezessete anos, que ele teve a compreensão de sua vocação, sentindo o forte chamado para dedicar toda a sua vida a serviço do anúncio do Evangelho. Nesta ocasião, consagrou toda a sua vida a Nossa Senhora.

Jesuíta

Desse momento em diante, José de Anchieta sentiu que o norte de sua vida estava estabelecido. Ingressou na Companhia de Jesus, certamente influenciado pela leitura de São Francisco Xavier. Tornou-se irmão jesuíta e dedicou-se arduamente aos serviços mais difíceis dentro da Ordem. Tanto que, após um ano, adoeceu. Os médicos não conseguiram aliviar seu sofrimento e ele foi desenganado.

Missionário desenganado

Quando soube da real situação de sua saúde, tendo um prognóstico de uns seis meses de vida, José de Anchieta pediu a seu superior que o enviasse para o Brasil. Seu desejo era passar seus últimos dias a serviço das crianças indígenas da selvagem Terra de Santa Cruz. Assim, em 1553, quando fazia apenas 53 anos da descoberta do Brasil pelos portugueses, Anchieta embarcou junto com Pe. Luiz da Grã e vários outros bravos jesuítas.

Surpresa na “Terra Brasilis”

Chegando ao Brasil, José de Anchieta sentiu-se estranhamente bem de saúde. De seus males físicos restou apenas um desvio de coluna que ele tinha adquirido após um acidente em Portugal. Foi, então, que os dotes da inteligência e capacidade de Anchieta apareceram e ele surpreendeu a todos.

Poliglota, escritor e comunicador

José de Anchieta desembarcou em Salvador, na Bahia. Ali, em apenas três meses, ele aprendeu a língua Tupi falada pelos índios do Brasil e escreveu a primeira gramática dessa língua. A Gramática de José de Anchieta auxiliou poderosamente os jesuítas e todos os missionários que aqui chegaram. Além disso, Anchieta revelou-se extraordinário com

Veja alguns produtos de Outros Santos