Santos e ícones Católicos

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Santa Maria Micaela

Fundadora da Congregação das Adoradoras, Escravas do Santíssimo Sacramento e da Caridade

Origens

Micaela Desmaissières y López de Dicastillo era filha de um importante militar e nobre espanhol que combateu tropas de Napoleão. Sua mãe se chamava Bernarda e era camareira da rainha Maria Luiza de Parma. O irmão de Bernarda foi embaixador espanhol em Paris e Bruxelas. Porém, apesar de viver na nobreza, Bernarda educou os filhos na austeridade e na piedade cristã. Ensinou a Micaela todos os trabalhos domésticos. Quando criança, Micaela acompanhava sua mãe na Igreja durante horas e se sentia embevecida com a presença de Deus.

Juventude

Quando jovem Micaela habituou-se a visitar os enfermos e costurar peças de roupa para os pobres. Reunia meninas pobres em sua casa e ensinava a elas a doutrina católica. As obras de caridade e as devoções a absorveram de tal maneira que ela completou trinta anos sem ter pensado em casamento. Nessa época sua mãe faleceu e Micaela herdou o nobre título de Viscondessa de Jorbalán.

Começa o trabalho com as prostitutas

Em suas visitas aos doentes, Micaela se deparava constantemente com mulheres que tinham estragado suas vidas na prostituição e se encontravam enfermas. Então, ela teve a inspiração de fundar uma casa de abrigo para a recuperação física, emocional e espiritual dessas mulheres. Ela mesma cuidava, conversava e conhecia cada uma, e dava a elas amor, respeito e dignidade. Assim, muitas começaram a se recuperar.

A vida entre os ricos

Por sua herança nobre e por ter herdado grande fortuna, Micaela continuava ainda vivendo na aristocracia. Por isso, viajava com seu irmão pelas capitais da Europa. Nessas viagens, nunca se descuidava da casa fundada na Espanha e procurava fundar outras onde estava, pois o grande número de mulheres obrigadas a se prostituir por total falta de opções na vida cortava seu coração bondoso. Assim, ela vivia entre o luxo da nobreza e a caridade para com as prostitutas. Porém, nunca deixou de fazer sacrifícios, jejuns e mortificações pela sua própria conversão.

Chamado de Deus

Em 1848 Micaela voltou para a Espanha, disposta a viver como Deus lhe indicassefoi se confessar. O padre fez um comentário que a fez parar para pensar: “A Senhora vem demasiado oca para pedir perdão a Deus... Tire as sedas, mas se vista como essas senhoras virtuosas que vê na igreja”. Santa Micaela compreendeu o recado de Deus e mandou fazer um vestido simples de lã. Os aristocratas começaram a estranhar essa mudança. Mas isso era apenas o começo.

Vivendo com as prostitutas

Sua obra de recuperação das prostitutas crescia. Por isso, em 1850 Santa Micaela decidiu mudar-se para viver junto com elas. Aí revela-se seu talento de liderança, organização, perspicácia psicológica, sua força sobre as rebeldes. A princípio ela faz de tudo: cozinhar, costurar, varrer, ensinar. E a obra cresce ainda mais. Dezenas de mulheres tem suas vidas transformadas. Muitas conseguem até casamento. Outras, entregam-se à vida religiosa seguindo Santa Micaela ali mesmo na casa.

O choque da família e da nobreza

A família de Santa Micaela juntamente com a aristocracia espanhola ficam chocadas ao vê-la vivendo entre prostitutas e começam a isolá-la. Seu irmão desmaia quando vê o pobre quarto onde ela vivia. Espalha-se o boato de que ela “enlouqueceu”. A rainha Isabel II ouve esses boatos e decide ir visita-la. Nessa visita, a rainha percebe a grandiosidade da obra de Santa Micaela. A partir daí nasce uma linda e profunda amizade entre as duas, incentivada por Santo Antônio Maria Claret, confessor da rainha.

A Congregação

A obra de Santa Micaela cresce, recupera dezenas e dezenas de mulheres prostituídas e se impõe grande força moralizadora na sociedade espanhola. Por isso, várias moças sentem-se chamadas a ingressar nesse trabalho missionário. Por isso, em 1858, Santa Micaela funda a Congregação das Adoradoras, Escravas do Santíssimo Sacramento e da Caridade. Elas tinham como carisma a adoração perpétua do Santíssimo Sacramento e a recuperação das mulheres prostituídas ou moças em risco de se perderem. A força dessas mulheres vinha da adoração ao Santíssimo Sacramento. Em 1861 a Congregação foi aprovada pela Igreja. A partir de então, várias casas são fundadas na Espanha.

Morte

Em 1865, várias monjas da casa de Valência contraíram a cólera. Santa Micaela afirmou decidida: “Saio para Valência, pois aquelas filhas que tenho lá não são valentes, e temo que se acovardem ao ver tanta mortandade”. Porém, poucos dias após chegar a Valência, Santa Micaela sentiu que contraíra a peste e percebeu que sua vida estava perto do fim. Assim, no dia 26 de agosto ela afirmou: “Vou padecer um pouco; mas às doze horas tudo terá passado”. E, realmente, à meia-noite ela faleceu na graça de Deus. Foi beatificada em 1925 e canonizada em 1934.

Oração a Santa Maria Micaela do Santíssimo Sacramento

Ó Deus, que destes a Santa Maria Micaela do Santíssimo Sacramento a graça da compaixão por aquelas mulheres que se perderam na vida por falta de amor, atenção, cuidado e oportunidades, dai também a nós a graça da compaixão para com aqueles que precisam e aos quais temos a possibilidade de ajudar. Que o exemplo de santa Micaela nos ajude a transformar nossas vidas e as vidas daqueles que o Senhor colocar em nosso caminho. Amém. Santa Micaela, rogai por nós.”

Veja alguns produtos de Outros Santos