Santos e ícones Católicos

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Papa Francisco

O Papa Francisco cativou o mundo com sua simplicidade, seu carisma e seu sorriso. Mesmo os não católicos e até ateus reverenciam a originalidade e a bondade deste homem único e interessante. Homem vivaz, de raciocínio rápido, perspicaz, culto, poliglota... Porém, ao mesmo tempo, simples, sorridente, acessível, simpático, cativante. Conheça a história deste homem que já deixou sua marca na segunda década do Século XXI.

Infância e juventude

Ele foi batizado com o nome de Jorge Mario Bergoglio. É filho de imigrantes italianos radicados em Buenos Aires, capital da Argentina. Seu pai trabalhou como ferroviário e sua mãe, embora nascida em Buenos Aires, era descendente de italianos.

A influência do esporte

 

A infância de Jorge Mario teve a boa influência do esporte por parte de seu pai, que foi jogador de basquete no clube San Lorenzo, que ficava no bairro de Flores, onde a família Bergoglio morava. Este fato despertou no menino Jorge Mario o amor pelo San Lorenzo. O clube tem um time de futebol pelo qual ele torce desde sua infância.

Dificuldades

 

Na juventude, Jorge Mario foi vítima de uma doença respiratória grave. Por causa dessa doença, foi preciso retirar-lhe um dos pulmões. E ele, que gostava tanto de esportes, teve que ficar mais como espectador por causa da enfermidade. Na adolescência, teve uma namoradinha chama Amália, mas o namoro foi apenas um caso de adolescentes sem maturidade nem compromisso. Coisas normais da idade.

 

Estudos iniciais

 

Jorge Mario fez os estudos básicos em seu próprio bairro em Buenos Aires. Porém, desde cedo, mostrou-se portador de uma inteligência brilhante. Ele é graduado e mestre em química pela Universidade de Buenos Aires.

 

Vocação jesuíta

Jorge Mario ingressou no noviciado dos jesuítas aos 22 anos de idade, no ano de 1958. Foi uma vocação chamada "tardia", porque nessa época, os vocacionados eram, em sua maioria, meninos de 12 a 15 anos. Na verdade, era uma vocação madura. E, pelo que vemos agora, ao estudar sua vida, uma vocação frutuosa e bela.

 

Formação jesuíta

A formação dos jesuíta é rígida e muito exigente. Assim, Jorge Mario Fez os estudos iniciais da companhia de Jesus em Santiago, Chile. Depois, formou-se em filosofia pela Universidade católica de Buenos Aires. Entre 1964 e 1966, lecionou Psicologia e Literatura. Em 1969 formou-se em Teologia. Foi ordenado sacerdote em 13 de dezembro de 1969, antes de fazer seus votos perpétuos. Estes foram feitos em 1973. Neste mesmo ano, foi nomeado Mestre de Noviços e dedicou-se à formação dos novos jesuítas na San Miguel, Argentina. Depois disso, na mesma cidade, foi reitor das faculdades de Teologia e Filosofia. Fez, em seguida, doutorado em teologia na Alemanha. Depois, voltou para  a cidade de Córdoba, na Argentina, onde foi diretor espiritual. Nessa época, o Pe. Jorge Mario já era fluente em Alemão, Italiano, Inglês e Francês, tendo também um bom conhecimento da língua portuguesa.

 

Sagração episcopal

Em 1992 ele foi nomeado Bispo Auxiliar de Buenos Aires pelo então Papa João Paulo II. Em 1997, cinco anos depois, foi nomeado arcebispo coadjutor da Capital Argentina. No ano seguinte, no dia 28 de fevereiro de 1998 foi sagrado Arcebispo Metropolitano de Buenos Aires. Nesse mesmo ano, foi nomeado o responsável pelos cristãos de Rito Oriental da Argentina.

 

Cardinalato e os primeiros sinais da simplicidade

Dom Bergoglio, como era conhecido, foi feito Cardeal também pelo Papa João Paulo II em 2001. Quando da sua sagração cardinalícia, Dom Bergoglio pediu encarecidamente que os argentinos não se deslocassem até Roma para participarem da celebração, mas que doassem o dinheiro que gastariam na viagem aos pobres. E ele repetiu o mesmo gesto quando da sua primeira missa papal, marcando o início de seu pontificado.

 

Experiência do Papa Francisco como Cardeal

O Cardeal Jorge Mario Bergoglio teve uma participação bastante ativa na Cúria Romana antes de ser eleito Papa. Ele participou das seguintes congregações: Congregação para o Clero, Culto Divino e Sacramentos, Institutos de Vida Consagrada e Sociedade de Vida Apostólicas, Pontifícia Comissão para a América Latina e Pontifício Conselho para a Família. Junte-se a isso sua larga experiência pastoral como Arcebispo de uma metrópole como Buenos Aires e veremos que Dom Bergoglio é um homem de extraordinária formação acadêmica, espiritual e religiosa e bastante apto para o árduo e difícil ministério de sucessor de São Pedro.

As marcas impressionantes da eleição do Papa Francisco

O Cardeal Bergoglio foi eleito no dia 13 de março de 2013. Era apenas o segundo dia do conclave. Sua eleição tem algumas características marcantes. Ele é o primeiro religioso da Ordem dos Jesuítas a ser eleito papa. É o primeiro papa nascido no Continente Americano. É o primeiro papa nascido no Hemisfério Sul! Veja que impressionante: todos os 265 papas que o sucederam, vieram do Hemisfério Norte e, na sua imensa maioria, vindos da Europa. Aliás, Francisco é o primeiro papa não europeu em mais de 1200 anos!

 

O Pontificado do Papa Francisco

 

Quando alguém é eleito papa, o rito da Igreja prevê que se pergunte se ele aceita o ministério. Quando a pergunta foi feita ao Cardeal Bergoglio, ele respondeu: "Eu sou um grande pecador, confiando na misericórdia e paciência de Deus, no sofrimento, aceito". Assim, reconhecendo sua limitação humana, Francisco começou seu ministério de Líder da Igreja Católica.

 

Porque o nome "Francisco"

 

O Cardeal Bergoglio escolheu por nome papal ser chamado de Francisco, em homenagem a São Francisco de Assis e como sinal de simplicidade e humildade para o mundo. E o seu comportamento faz jus ao nome. Ele conquistou o mundo com sua simplicidade, humildade, simpatia e despojamento. Depois de ser eleito papa, fez questão de ir pessoalmente pagar as despesas do hotel onde ficara em Roma, dispensou carros de luxo e pompas que não condizem com a pobreza evangélica de São Francisco.

 

O sorriso e a bênção do Papa Francisco

 

Uma das características marcantes do Papa Francisco é seu sorriso aberto e amigo. Ele tem um sorriso que abre portas, que aproxima, que favorece o diálogo. Tanto que vários líderes de outras religiões já se solidarizaram a ele e se abriram para o diálogo, tão importante nos tempos de hoje. Além disso, o Papa Francisco gosta de abençoar. A bênção e o sorriso tornaram-se marcas do Papa Francisco e já estão produzindo frutos maravilhosos na vida de todos os que, de alguma forma, entram em contato com ele. Que Deus abençoe e guarde o Papa Francisco.

Veja alguns produtos de Papa Francisco