Santos e ícones Católicos

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . São Simeão

Origens          

Simeão nasceu no ano 390, na região de Cilícia, onde hoje é a Síria. Era filho de uma família humilde e cristã. Até chegar à adolescência, Simeão ajudou seu pai no trabalho com o gado. Desenvolveu o hábito de ler o Novo Testamento, especialmente os Evangelhos, durante o tempo livre em que estava com o rebanho. Depois, sempre pedia que um velho sacerdote lhe explicasse as Escrituras. Este padre percebeu logo que Simeão tinha a vocação para a vida monástica.

O chamado de Deus

Desde jovem Simeão revelou ser muito perspicaz e inteligente. Por outro lado, tinha um jeito de ser dramático e exagerado. Certo dia, durante uma missa, o padre falou, no sermão, sobre a vida de alguns santos. O padre falou que a oração contínua, o jejum, as vigílias, os sofrimentos e as humilhações formavam o caminho para a felicidade verdadeira, no céu. Ouvindo isso, Simeão sentiu que sua vocação era entregar-se totalmente a Deus.

Austeridade

Simeão foi, então, para um mosteiro perto de sua cidade. Passou alguns dias em jejum na porta. Depois, foi recebido pelos monges. Ele ficou nesse mosteiro durante dois anos. Porém, queria uma vida mais austera e sacrificada. Por isso, ao término de dois anos os monges acharam por bem dispensá-lo da comunidade.

Severidade

Simeão foi, então, para o mosteiro de Heliodoro, conhecido por sua severidade. Lá, ele intensificou suas penitências. Simeão ficou por dez anos nesse Mosteiro. Suas penitências preocupavam o superior do mosteiro. Simeão, por sua vez, intensificava mais ainda seus sacrifícios. Chegou a amarrar uma corda bastante áspera em seu corpo, para se sacrificar ainda mais. Isso perturbou os outros religiosos. Por isso, o superior pediu para que ele deixasse o mosteiro.

Sacrifício extremo

Por tudo isso, Simeão optou por viver uma vida solitária, como eremita. Para isso, foi para o topo do Monte Tesalissa. Lá, havia uma comunidade de cristãos que buscavam o isolamento e a oração. Simeão passou três anos ali, fazendo jejuns e sacrifícios em quase todos os tempos litúrgicos, não só na Quaresma. Depois disso, decidiu ir para o ponto mais alto do monte. Lá,  construiu uma cela de pedras, sem teto e sem o mínimo conforto. Chegou a fazer sacrifícios extremos. Um padre, ao saber disso, aconselhou Simeão a exercitar sua força de vontade sem se entregar aos exageros. Simeão percebeu que esta era a vontade de Deus e obedeceu.

O estilista

A partir desse momento, São Simeão deixou o exagero nos sacrifícios e começou a pregar para as pessoas que o procuravam. Chegara o tempo de ele passar os conhecimentos que alcançara para todos os que precisavam. E o povo começou a procura-lo. Ele acolhia, ouvia as pessoas, aconselhava e pregava o Evangelho a todos. Por isso, passou a ser chamado de estilista. Essa expressão vem do grego “sytilos”, cujo significado é “coluna”. São Simeão, de fato, passou a ser uma coluna de fé e força espiritual para todo o povo da região. Pelo tempo de sete anos ele pregou ali, evangelizou, ouviu, aconselhou e converteu uma multidão de pagãos, que o procuravam para ver os milagres que eram operados por sua intercessão.

Solidão nas alturas

São Simeão, porém, tinha uma vocação para a solidão. Por isso, optou por construir uma torre alta, como uma coluna, tendo uma base na parte superior para ele morar. Sempre que possível, aumentava a altura da torre. São Simeão viveu ali durante vinte e sete anos. Por isso, a torre chegou a atingir vinte e oito metros de altura. Lá do alto ele pregava o Evangelho para o povo que o procurava. Com essas pregações, converteu a muitos e vários prodígios aconteceram ali por sua intercessão.

Morte

São Simeão faleceu sobre a torre que construiu, estando em posição de oração. Era o dia 5 de janeiro do ano 453. Sua festa passou a ser celebrada nesse dia, a partir do ano em que ele faleceu. Em pouco tempo, a festa se propagou pelo mundo católico. Quando ele foi canonizado, a Igreja manteve a data da sua celebração.

Oração a São Simeão, o estilista

“Ó Deus, que destes a São Simeão a graça de ser chamado “sytilos”, coluna, dai-nos, por sua intercessão, a graça da perseverança e de suportar os sacrifícios desta vida com paciência e fé, na certeza de que eles nos ajudam no caminho da santidade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo, amém. São Simeão, rogai por nós.”

Veja alguns produtos de Outros Santos