Carrinho

Teleatendimento: 0800-300-5555 / (11) 3075-6850

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Cruz Terra Santa

Santos e ícones Católicos

História de Cruz Terra Santa

A Cruz da Terra Santa é um objeto sagrado cheio de significados profundos para a vida do cristão. Sua história remete às origens da nossa fé e à fidelidade de Deus para com cada um de nós. Para compreender um pouco desse mistério, vamos ver porque o país de Israel é chamado de “Terra Santa”.

Por que Israel é chamado de “Terra Santa”?

Uma resposta a essa pergunta vem logo à mente: “é porque foi lá que Jesus nasceu, viveu, morreu e ressuscitou”. Certo. Isso já é suficiente para tornar aquela terra Santa. Mas, então, outra pergunta surge: “por que o Filho de Deus escolheu nascer em Israel e não em outro país?” A resposta nos leva a compreender os mistérios dessa Terra e o porquê, de fato, a terra de Israel é Santa.

Deus se revelou primeiro a Israel

Antes do povo de Israel se formar, a humanidade não conhecia o Deus Único e Verdadeiro. Os seres humanos viviam mergulhados no politeísmo, ou seja, no culto a vários deuses. Assim, certos animais eram tidos como deuses, algumas forças da natureza eram cultuadas como deuses, certos animais eram adorados como deuses e não se conhecia o Deus Verdadeiro, aquele que criou todas as coisas. A revelação de que existe somente um Deus e que foi Ele quem criou tudo o que existe, aconteceu em Israel. E isso tem um porquê.

Dois homens de fé

Deus se revelou a Israel por causa de dois homens de fé: Abraão e Moisés.

Abraão foi quem deu origem ao povo de Israel. Era caldeu, vivia em Ur, cidade da Caldeia, atual sudeste do Iraque. Aos setenta e cinco anos de idade, casado com Sara, também idosa, sem ter tido filhos, ouviu o chamado do Deus Verdadeiro: “Sai da tua terra e vai para a terra que eu te mostrarei... Farei de ti uma grande nação” (Gênesis 12, 1-2). Abraão simplesmente acreditou no chamado, juntou tudo o que tinha e partiu. Numa jornada de mais de mil quilômetros, chegou à terra que hoje se chama Israel. Essa foi a terra que Deus lhe mostrou. Lá, ele e Sara, milagrosamente geraram Isaac, que deu origem ao povo de Israel. O povo de Deus nasceu do ato de fé de um homem.

Moisés foi quem libertou os judeus do Egito. Os israelitas tinham se tornado escravos dos politeístas egípcios. Mas o Senhor, cumprindo sua promessa a Abraão, “Farei de ti uma grande nação”, suscitou Moisés. E Moisés fez com que o povo de Deus se tornasse uma nação, voltando a viver novamente na “Terra Prometida” ou “Terra Santa”, a terra que Deus prometera a seu povo desde o início.

Vivendo entre nações pagãs

Uma vez estabelecido na Terra Santa, o povo de Deus passou a ser o único povo monoteísta no meio de várias nações politeístas ou pagãs. Ao longo dos séculos Deus suscitou profetas e líderes que mantiveram seu povo no caminho do reconhecimento e da adoração ao Deus Único e Verdadeiro. Essa fidelidade, apesar das fraquezas do povo, de suas quedas e soerguimentos, também fez com que a terra de Israel se tornasse santa, porquê, ali, naquela terra, procurava se adorar somente ao Deus Único e Verdadeiro, Criador de todas as coisas. E foi por isso que Jesus, o Filho de Deus, nasceu nesta Terra.

Terra Santa

A terra ou o solo de Israel é, portanto, um solo santo. Neste solo pisaram homens que mudaram os rumos da humanidade e não só de seu povo. Neste solo pisou o Filho de Deus, Jesus. Neste solo pisou Maria, Nossa Senhora, a Mãe de Jesus e da humanidade. Neste solo pisaram os Apóstolos e os santos. Neste solo os Mártires derramaram seu sangue por causa de Jesus Cristo e do Deus Único e Verdadeiro.

Água benta

Neste sentido, a água do Rio Jordão também é uma água abençoada, santa. Primeiro, porque ela nasce e morre na Terra Santa de Israel. E, depois, porque Jesus foi batizado nas águas do Rio Jordão. Quando João Batista mergulhou Jesus nas águas deste rio abençoado, uma voz veio do céu como um trovão e exclamou: “Este é meu filho muito amado, em quem ponho toda a minha alegria!” E o Espírito de Deus pousou sobre Jesus em forma de uma pomba. Mateus 3, 17. Esta passagem é, na verdade, uma “Epifania”, ou seja, uma “Revelação de Deus” acontecida nas águas do Rio Jordão. Por isso, essas águas também são santas e abençoadas. Além disso, a água do Rio Jordão simboliza a água que foi usada no nosso batismo, lembrando o nosso compromisso com Deus.

Um sonho realizado

O sonho de pisar na terra onde Jesus, o Filho de Deus, pisou e viveu sempre fascinou os cristãos desde o início do cristianismo. O sonho de banhar-se nas águas do Rio Jordão, onde Jesus foi batizado e onde Deus se revelou igualmente alimenta os anseios dos cristãos desde os primórdios. Por isso nasceu a Cruz Terra Santa: para levar aos cristãos de todo o mundo uma pequena porção deste Solo Santo, e uma pequena porção dessa Água Abençoada.

A Cruz Terra Santa

A cruz é também o símbolo da nossa Salvação. Foi numa cruz que Jesus derramou seu sangue e morreu para nos salvar do pecado e da morte eterna. Por isso, a cruz se tornou o maior símbolo sagrado dos cristãos e o maior símbolo sagrado de todos os tempos. Juntando-se ao poder deste símbolo de vida uma porção do solo da Terra Santa na sua haste vertical e algumas gotas da água do Rio Jordão na haste horizontal, criou-se um maravilhoso símbolo de vida, de fé e de revelação de Deus.

A força espiritual da Cruz da Terra Santa

Destinada a passar de geração para geração, a Cruz da Terra Santa é um dos artigos religiosos de maior inspiração e de beleza incomparável. Através dela, você pode ser tocado pela força espiritual que irradia da Terra Santa. As águas sagradas do batismo de Jesus e a terra sobre a qual Ele caminhou, foram capturadas para toda a eternidade quando colocadas dentro desse presente espetacular que é a Cruz da Terra Santa. Nunca antes acessível, a Cruz da Terra Santa é um tributo eterno à sua fé e um agradecimento visível pela força miraculosa do seu compromisso pessoal com Jesus Cristo.

Veja alguns produtos de Outros Santos