Carrinho

Teleatendimento: (11) 4800-3800

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Solenidade de São Pedro e São Paulo

Santos e ícones Católicos

História de Solenidade de São Pedro e São Paulo

Solenidade de São Pedro e São Paulo: quem foi Pedro

Pedro foi o discípulo chamado às margens do lago de Genesaré para ser "pescador de homens". Seu nome era Simão, antes. De sua personalidade forte e de sua entrega intensa, quase tão bruta quanto poderiam ser seus modos de homem simples, aparentemente sem instrução e entregue a uma profissão muito comum na região em que vivia. Jesus o chamou de Pedra, se referindo à sua firmeza de fé, e certamente também a esses outros atributos. Seria testemunha de vários eventos milagrosos, com destaque para a Transfiguração do Senhor, que faz um paralelo com a crucificação do Senhor, ocasião na qual ele negou Jesus por três vezes. Depois de sua ressurreição, ao receber a visita do Mestre, teve a oportunidade de emendar o seu erro e confirmar seu compromisso com o Cristo, afirmando também três vezes que o amava, certamente em meio às lágrimas, como a descrição da cena nos evangelhos nos permite imaginar. Foi o primeiro papa da Igreja.

Solenidade de São Pedro e São Paulo: quem foi Paulo

Paulo foi um judeu devoto radical que perseguia os cristãos nos primeiros tempos do cristianismo. Seu nome era Saulo, antes do Batismo. Conta-se que, indo de caminho para Damasco, com autorização de prender e matar cristãos, recebeu a visita do ressuscitado, que o indagava "Saulo, Saulo, porque me persegues?" - uma clara referência ao pensamento da Igreja, ainda primitiva, sobre si mesma, uma Igreja que se identifica como corpo do Cristo. Tendo ficado cego por causa da luminosidade da revelação, é acolhido pela comunidade cristã que iria perseguir e se converte no maior mensageiro de Jesus, de todos os tempos.

Pedro e Paulo: duas maneiras de conhecer o Cristo

Dizem que os opostos se atraem e, na história do cristianismo, pode-se verificar certa correspondência com isso, no que diz respeito a Pedro e Paulo. Pedro, com sua personalidade intensa e radical, conviveu pessoalmente com Jesus durante seus anos de ministério e era um dos discípulos a quem o Mestre dispensava maior atenção e proximidade. Vemos por várias vezes Jesus se retirando e levando consigo a ele, a Tiago e João. Apesar de sua simplicidade, sua força e dedicação zelosa fizeram dele o primeiro sucessor de Jesus Cristo na guia de seus discípulos. Paulo era dotado de dons bem diferentes: era de instrução refinada, tanto na religião que professava quanto em Filosofia, como podemos concluir do fato de ser cidadão romano e conhecer a língua grega tão bem a ponto de ser chamado de "apóstolo dos pagãos". As escrituras narram somente um encontro dos dois, em Antioquia, mas certamente eram mais próximos do que o que se tem notícia, pois eram chefes na mesma Igreja.

Os martírios de Pedro e de Paulo

Após percorrer os anos de seu apostolado, entre viagens, pregações, milagres e prisões por causa do Evangelho, Pedro morreu crucificado como Jesus, provavelmente no ano 64 d.C. Ao entregar-se, porém, para o ato de testemunho final, num belíssimo ato de humildade, pediu que fosse crucificado de cabeça para baixo, alegando que não era digno de morrer do mesmo modo que o Mestre. Aproximadamente, talvez no ano 67 d. C., Paulo seguiu o mesmo destino de Pedro: anos de apostolado e viagens inumeráveis para pregar o mesmo Evangelho; dedicação admirável na missão de unir a Igreja, através de suas cartas, das quais conhecemos várias; várias prisões e, por fim, morreu decapitado. Embora não se tenha certeza absoluta sobre essas datas, o que se pode afirmar é que ambas as condenações foram feitas sob o império de Nero, em Roma.

A Solenidade de São Pedro e São Paulo, na Liturgia

Esta solenidade é uma das mais antigas do calendário litúrgico e celebra a fidelidade desses dois apóstolos, tão diferentes, à mesma missão e ao mesmo Cristo. Há muitas igrejas dedicadas a eles, no mundo inteiro e os restos mortais do apóstolo Pedro podem ser visitados sob a Basílica que leva o seu nome, no Vaticano. Já os de Paulo, se encontram na Basílica de São Paulo Fora dos Muros, também em Roma. A data de 29 de junho, Solenidade de São Pedro e São Paulo, é também considerada como o "dia do papa".

As famosas "Fogueiras de São Pedro e São Paulo"

Além das celebrações litúrgicas, existem outras festas muito populares que celebram as figuras de São Pedro e de São Paulo. São as famosas festas juninas, que trazem também a celebração de outros dois santos muito populares no Brasil: Santo Antônio, celebrado pela Liturgia no dia 13 de junho; e São João Batista, no dia 24 de junho. As comemorações envolvem fogueiras, bandeirolas coloridas, muita comida gostosa, como caldos e doces típicos de cada região e as famosas quadrilhas. Viva Santo Antônio e São João. e viva, São Pedro e São Paulo, viva nossa tradição !

Veja alguns produtos de Outros Santos