Carrinho

Teleatendimento: 0800-300-5555 / (11) 3075-6850

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Santo Eduardo

Santos e ícones Católicos

História de Santo Eduardo

Santo Eduardo, o confessor

Rei da Inglaterra, promoveu a paz e combateu a corrupção em seu reinado.

Origens

Eduardo viveu entre 1003 e 1066. Em 1013, com 10 anos, foi exilado na Normandia, Noroeste da França, juntamente com sua mãe, quando inimigos invadiram a Inglaterra. No exílio, o jovem Eduardo continuou a ser educado na fé cristã por sua mãe. Os dois viveram na Normandia durante 29 anos, até à morte do falso rei Hardicanute. Então, Eduardo foi aclamado rei da Inglaterra, aos 39 anos.

Benfeitor

Eduardo tinha feito um voto de ir até Roma em peregrinação, caso assumisse o trono da Inglaterra, que era seu por direito. Após conseguir a graça, quis cumprir sua promessa, mas o Papa o dispensou. Por isso, ele doou todo o dinheiro que gastaria nesta viagem em benfeitorias para os pobres, criando abrigos e asilos onde os mais necessitados encontravam apoio. Durante todo o seu reinado, Eduardo socorreu os pobres, mostrando que os governantes devem colocar-se a serviço dos governados.

Pacificador

A Inglaterra vinha sofrendo grandes tribulações há anos, por causa de brigas entre os partidos Normando e Anglo-Saxão. Sendo ele Anglo-Saxão, mas tendo vivido entre os normandos, conhecendo os dois lados, estabeleceu o diálogo e conseguiu promover a paz entre os inimigos. Além disso, Eduardo aboliu várias leis opressoras e injustas e instaurou um governo que promoveu a paz e a prosperidade na Inglaterra.

Casamento e política

Com a intenção de firmar a paz definitivamente, o rei Eduardo casou-se com Edite Golwin, filha de seu adversário político mais difícil, chamado Barão de Golwin. Casamentos arranjados eram coisa comum naquele tempo, mais ainda entre os governantes. O Barão, por sua vez, como sogro do rei, achou-se na condição de governar o país e começou a fazer armações políticas neste sentido. Quando o rei Eduardo percebeu que suas conquistas corriam o risco de serem perdidas, exilou o sogro e colocou a esposa num convento. Ao ver que o país voltara ao rumo certo, voltou a conviver com sua esposa, por quem era apaixonado.

Obras de gratidão a Deus

O rei Eduardo era homem de oração, meditação da palavra e ascese espiritual. Vendo realizado seu sonho de governar seu país no rumo da paz e da prosperidade, Eduardo sentia-se grato a Deus. Por isso, decidiu restaurar a grandiosa Abadia de Westminster, na qual, anos depois, ele foi sepultado.

Desapego

Santo Eduardo era desapegado dos bens materiais. Certa vez, quando voltava de uma missa, um pobre aproximou-se dele para pedir esmola. Eduardo viu que este pobre representava um grupo de necessitados que estavam ali sofrendo à míngua. Então, ele deu a eles seu precioso anel de rei. Os pobres tiveram suas vidas transformadas por causa disso. Mais tarde criou-se a tradição de que o pobre que tinha lhe pedido esmola era São João Batista. Na verdade, era o próprio Jesus, que disse: “Tudo o que fizerdes ao menos dos pequeninos, por causa de mim, é a mim que o fazeis...” (Mateus 25)

Corpo incorrupto

Santo Eduardo faleceu no dia 5 de janeiro, após cumprir um reinado memorável para a Inglaterra. Cinquenta anos após sua morte, decidiram trasladar seus restos mortais dentro da Abadia e descobriram que seu corpo estava intacto. Assim, ele foi trasladado com toda a solenidade para a igreja principal da Abadia de Westminster. Isso aconteceu um ano após ele ter sido canonizado, em 1162.

Oração a Santo Eduardo

“Ó Deus, que concedestes a Santo Eduardo a graça de governar com justiça, promovendo o verdadeiro bem para seus governados, concede-nos a graça e governar nossas vidas e nossos bens com justiça e procurar verdadeiramente o bem do próximo. Por Cristo, Nosso Senhor, amém. Santo Eduardo, rogai por nós.”

Veja alguns produtos de Outros Santos