Carrinho

Teleatendimento: 0800-300-5555 / (11) 3075-6850

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Santo Arsênio

Santos e ícones Católicos

História de Santo Arsênio

Origens

Arsênio nasceu no ano 354, em Roma. Pertencente a uma família nobre, rica e tradicional de senadores, viveu na época em que o cristianismo deixava de ser perseguido começava a se tornar a religião oficial do império romano. Por isso, desde pequeno foi educado na fé cristã. Depois de viver sua infância e juventude na fé, sabe-se que ele foi ordenado padre pelo papa Dâmaso e exerceu os primeiros anos de seu ministério na corte do imperador Teodósio.

Educando os filhos do imperador

No ano 383, Teodósio, o imperador, pediu que ele se dedicasse a educar e formar seus filhos Honório e Arcádio, na cidade de Constantinopla, sede do império no Oriente. Arsênio aceitou e cumpriu esta missão permanecendo na Corte durante onze anos, formando e educando os filhos do imperador. Isso durou até 394. Quando terminou a missão, após quase onze anos, pediu exoneração do cargo e foi para o deserto, retirar-se na região no Egito.

Do luxo à pobreza

Santo Arsênio viveu numa época de profundas transformações na Igreja. O cristianismo passou de religião perseguida pelo império romano a religião oficial do Estado. Este fato suscitou vários movimentos na Igreja, que começava a respirar a liberdade. Entre esses movimentos, apareceu o ascetismo, ou seja, a busca de elevação espiritual através da “ascese”. Ascese são exercícios espirituais aliados a mudanças de comportamentos que visam a elevação espiritual. A palavra ascese vem do Latim “ascendere”, que significa “elevar, subir”. Buscando a santidade e a elevação espiritual, Santo Arsênio tornou-se um eremita, indo viver na região desértica de Alexandria, no Egito.

Descoberto e procurado por todos

Depois de certo tempo na solidão do deserto, na prática da oração constante, dos sacrifícios e dos jejuns, Santo Arsênio foi descoberto e começou a ser procurado pelo povo. O seu esconderijo no deserto passou a ser um dos mais procurados pelos cristãos. Eles descobriram que o Santo era portador de sabedoria e santidade. Por isso, buscavam nele os conselhos e a paz de espírito. Para isso, não se importavam em fazer longas e penosas peregrinações. Depois de certo tempo, Santo Arsênio passou a viver numa comunidade monástica chamada Scete, localizada no mesmo deserto. Ali, ele atendia as pessoas e vivia uma vida de comunidade, seguindo uma regra monástica, na paz e na tranquilidade.

Invasão Porém, a paz e a tranquilidade em que Santo Arsênio e a comunidade viviam acabou quando uma tribo da região invadiu o mosteiro. Este fato obrigou Santo Arsênio a sair de lá. Ele se refugiou, então, numa gruta entre os anos 434 e 450. Lá, viveu isolado. Apenas nos últimos anos de sua vida ele aceitou que alguns poucos discípulos o acompanhassem.

O dom das lágrimas

Em seus últimos anos de vida, Santo Arsênio recebeu de Deus o dom das lágrimas. Quando ele estava em oração e lia um trecho dos Evangelhos, ele era profundamente tocado pela graça de Deus e se emocionava, chorando copiosamente. Isso impressionava seus poucos discípulos. Através das lágrimas de Santo Arsênio eles percebiam o quão importante eram para ele as Palavras de nosso Senhor Jesus Cristo. Por fim, Santo Arsênio faleceu em Troc, perto da cidade egípcia de Mênfis, no ano 450.

Oração a Santo Arsênio

Ó Deus, que destes a Santo Arsênio a graça de buscar-vos em primeiro lugar, desprezando tudo por causa de vós, dai também a nós a graça de amar-vos acima de todas as coisas para que possamos amar a todos aqueles que precisarem do nosso auxílio. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo, amém. Santo Arsênio, rogai por nós.”

Veja alguns produtos de Outros Santos