Santos e ícones Católicos

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Santa Maria Josefa Rossello

Santa Maria Josefa Rossello

A santa que foi empregada doméstica Padroeira dos necessitados e do ensinamento dos valores cristãos

Origens

Nascida em 1811, seu nome de batismo era Benedita Rossello. Nasceu na Itália, num lugar chamado Albisola Marina, região de Liguaria, pertencente à Diocese de Savona. Ela foi uma dentre nove irmãos e era filha de um porteiro. Conheceu a pobreza e a necessidade desde cedo. Por isso, sofreu com pouca saúde durante toda a sua vida.

Fé e confiança

Apesar das dificuldades, Benedita Rossello viveu sua infância, adolescência e juventude cultivando a piedade, a fé, o espírito de caridade e de oração. Um pouco disso foi herdado de sua família. Porém, grande parte de seu espírito de caridade foi cultivado por ela mesma, pois, conhecendo a pobreza, ela tinha a capacidade de se colocar no lugar dos outros, ou seja, ela praticava a compaixão.

Barrada nas Ordens Religiosas

Por causa de seu espírito de caridade e fé, quando jovem, tentou entrar em algumas Ordens Religiosas. Porém, foi recusada por causa de sua pouca saúde e também porque não tinha condições de oferecer um dote, como era o costume no tempo em que ela viveu. Seu testemunho, porém, foi razão de mudanças nas Ordens Religiosas mais tarde.

Empregada Doméstica

Aos 19 anos, para poder sobreviver e ajudar sua família com alimentação e vestuário, além do pai doente, Benedita Rossello foi trabalhar como empregada doméstica na casa do casal Monleone, que não conseguiu ter filhos. Ela tinha por volta de 19 anos e viveu ali durante sete anos. O casal era cheio de fé e gostava muito de Benedita. Quando o Sr. Monleone faleceu, a viúva pediu para Benedita ficar com ela para sempre e prometeu dar a ela toda a sua herança. Benedita, porém, recusou, sabendo de sua vocação para vida religiosa. Resignada, a viúva resolveu ajuda-la oferecendo o dote. Isso permitiu a Benedita entrar na Ordem Terceira do ramo feminino dos Franciscanos.

Catequista de crianças

Ao entrar na Ordem Terceira, Benedita escolheu seu nome religioso: Maria Josefa Rossello. Josefa por causa de sua grande devoção a São José. Logo, a Irmã Maria Josefa descobriu que tinha o dom de ensinar a fé às crianças. A Ordem, percebendo este dom, incentivou seu trabalho. Pouco tempo depois, o bispo diocesano também percebeu a grande habilidade de irmã Maria e, em 1837, chamou-a, junto com mais três jovens com as mesmas habilidades e deu a elas uma casa simples, com três salas que seriam destinadas às aulas de catequese, primeiramente, só a meninas.

A Obra de Deus floresce

O trabalho começou a dar frutos. Logo, a casa começou a ficar sempre cheia de crianças e adolescentes e não só meninas, mas também os meninos começaram a frequenta-la, obtendo grandes frutos para suas vidas e de suas famílias. A Obra de Deus e a vocação de Irmã Maria Josefa Rossello se confirmava dia a dia e todos ficavam admirados com o dom que Deus lhe dera.

Instituto das Filhas da Misericórdia

Algum tempo depois, a Irmã Maria Josefa fundou ali, com o apoio do bispo, o Instituto das Filhas da Misericórdia. Um Instituto destinado a ensinar crianças, adolescentes e jovens carentes e enfermos. Ou seja, um Instituto destinado a acolher e a ensinar os rejeitados da sociedade, oferecendo a eles a chance de um futuro melhor. Ali, qualquer moça era aceita para ser membro do instituto e não lhe era exigido nenhum tipo de dote. A Irmã Maria Josefa atuou como superiora do instituto durante 40 anos.

O instituto se expande para o mundo

Vendo os frutos do Instituto na sociedade, vários bispos e padres, de vários lugares, pediram a abertura do Instituto das Filhas da Caridade. Por isso, muitas casas foram abertas na Europa. Em 1875 foi aberta uma casa em Buenos Aires, Argentina, a primeira casa das Américas.

Santidade de vida

Todos testemunhavam a santidade de vida da Irmã Maria Josefa. Sua humildade no trato com as irmãs, sua caridade com as crianças, adolescentes e jovens. Ela desenvolvia amizades profundas com esses adolescentes, permitindo que eles se sentissem pessoas especiais e profundamente amadas. Isso fazia toda a diferença em suas vidas, dando-lhes sentido, confiança, dignidade e futuro. Santa Maria Josefa Rossello dedicava também grande parte de sua vida à oração, de onde ela tirava o alimento e o sustento de toda a sua vida. Por isso, seu bispo permitiu que ela encorajasse a vocação religiosa em suas casas. Delas, saíram vários sacerdotes e religiosas, que serviram com santidade à Igreja.

Falecimento

Santa Maria Josefa Rossello faleceu no dia 7 de dezembro de 1888, na cidade de Savona e logo começou a ser venerada pelas irmãs e pelos fiéis como santa. O povo começou a pedir graças por sua intercessão e as graças começaram a acontecer. Assim, em 1949 ela foi canonizada pelo Papa Pio XII. No brasil, sua festa é comemorada no dia 3 de outubro. Em outros países, comemora-se no dia 7 de dezembro, dia de sua morte.

Oração a Santa Maria Josefa Rossello

“Bendito sejais, Deus onipotente, que concedestes grande santidade a vossa serva santa Maria Josefa Rossello. E pela intercessão de Santa Maria Josefa, concedei-nos, Senhor, a graça que humildemente vos pedimos... (fazer o pedido) Por Jesus Cristo, Senhor nosso, amém. Santa Maria Josefa, rogai por nós.”

Veja alguns produtos de Outros Santos