Santos e ícones Católicos

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Santa Heloísa

Santa Heloísa nasceu numa família nobre e cristã, na região francesa chamada Normandia. Tinha educação refinada e boa herança em dinheiro. Heloisa se casou muito jovem e sempre se manteve firme na fé.

Ficou viúva muito jovem, fato representou um grande sofrimento em sua vida. Apesar disso, quis logo que os bens de seu falecido marido passassem todos para a Abadia Beneditina chamada Notre Dame de Coulombs, que ficava na diocese de Chartres, na França.

Além do dinheiro, Santa Heloísa também doou às beneditinas duas igrejas e as terras anexas a elas que pertenciam ao seu viúvo marido. Heloísa em português, “Eloisa” em espanhol e Elwisa em alemão. Seu nome vem do alemão e significa “Guerreira Ilustre”. Santa Heloisa, na verdade, era francesa e nasceu por volta do ano 1300.

Segundo casamento, segunda viuvez

Tempos depois, recuperando-se de sua viuvez, outro pretendente apareceu em sua vida e Santa Heloísa se casou novamente. Porém, mais uma vez, aconteceu o inesperado: seu segundo marido faleceu de morte natural pouco tempo depois do casamento. Heloísa parou, pensou e tomou uma decisão de vida. Por causa desses acontecimentos, decidiu que iria viver como uma religiosa.

A vida religiosa de Santa Heloísa

Sua decisão implicou na doação de todos os seus bens aos pobres e à abadia, deixando aos seus familiares apenas a herança que lhes era devida por direito. Em seguida, mandou que fosse construída uma pequena casa junto à igreja da abadia e ali ela passou a morar.

Santidade

No tempo da grande peste de 1330, a santidade de Heloísa se tornou clara. Muitos estudiosos afirmam que a tal peste era a “peste bubônica”, doença transmitida pelos ratos e que matou milhões de pessoas na Europa. Todos fugiam das pessoas doentes com medo de se contaminarem. Santa Heloísa, no entanto, se pôs a cuidar dos doentes sem receio algum. E, milagrosamente, ela não se contaminou com a doença.  

O dom de cura

A tradição católica da região afirma através de documentos, que Santa Heloísa curava alguns doentes fazendo apenas uma oração sobre estes ou dando a eles uma bênção. A peste era uma doença muito rápida e terrível. Os corpos das vítimas eram largados em suas casas e não ficava ninguém nem ao menos para sepultá-los. Cadáveres apodreciam a céu aberto.

Com a peste, morreram 25 milhões de pessoas em apenas em 5 anos. Esse número significava um terço do continente europeu na época. Mesmo diante deste cenário tenebroso, Santa Heloísa não tinha medo de se aproximar dos doentes, cuidar deles, curar a muitos e ajudar a outros tantos em seu momento derradeiro nesta vida. Sentia que os ajudando a morrer em paz e na graça de Deus, segurando nas mãos deles, rezando por eles, trazendo a grande graça da paz na hora da morte estaria na graças de Deus. Por isso, a fama de Santa Heloísa se espalhou.

Devoção a Santa Heloísa

Santa Heloísa faleceu no ano 1360. Logo que ela faleceu, milagres e graças começaram a acontecer através da intercessão de Santa Heloísa. Por isso, seu túmulo transformou-se rapidamente em lugar de peregrinação. Mais tarde seus restos mortais foram transladados para a grande catedral de Chartres, na França, onde ela viveu. Suas relíquias estão conservadas até os dias de hoje na mesma catedral. A festa de Santa Heloísa é celebrada no dia 11 de fevereiro.

Veja alguns produtos de Outros Santos