Santos e ícones Católicos

Você está em: Santos e Ícones . História de Santos . Beata Lavínia Sernardi

Origens

Lavínia nasceu em 2 de junho de 1588, na cidade de Grottammare, conhecida como “a Pérola do Adriático”, que ficava na Província de Ascoli Piceno, na Itália. Naquela época, o papa era Sisto V, conterrâneo de Lavínia. A Beata era filha de um homem chamado Segismundo Sernardi e de Emilia Tesei. Lavínia era a mais velha entre suas irmãs, chamadas Angelella, Vincenza e Portia. Ela tinha ainda um irmão cujo nome era Astolfo. 

Formação cristã

A mãe de Emília, avó de Lavínia, foi quem a educou na vida espiritual e o fez com muito cuidado. Lavínia foi orientada e formada também por três padres que tiveram grande importância em sua formação: Frei Nicolau Pallotta, um franciscano de Monteprandone; Pe. Vagnozzo Pica, sacerdote diocesano de Ripatransone e D. Jeronimo Leti, reitor da igreja do mosteiro de S. Bento. Lavínia, aliás, tinha uma enorme devoção para com São Bento Mártir. Ela costumava rezar no túmulo dele, fazendo o percurso da estrada Loretana a pé. 

Casamento e filhos

Aos 15 anos, seguindo o costume da época, Lavínia casou-se com um homem chamado Gio Marino, filho de Gio Antônio Giammarini. Somente depois de sete anos de casada é que ela teve sua primeira filha, chamada Ifigênia. O bebê, faleceu depois de apenas alguns meses. Passado algum tempo, Lavínia teve seu segundo filho, que recebeu o nome de Francisco. Passados mais três anos, teve mais uma filha chamada Margarida. 

Mãe de família e formadora

Extremamente cuidadosa, Lavínia educou e formou seus filhos na fé e proporcionando-lhes educação formal. E os frutos apareceram quenso eles se tornaram adultos. Francisco formou-se em física na Universidade de Fermo e Margarida tornou-se freira Capuchinha. Lavínia vivia a vida doméstica, mãe de família, na simplicidade, na santidade e na oração. O padre Catani, biógrafo da Beata Lavínia, escreve o seguinte:

“É extremamente comovente ler o depoimento dos confessores de Lavínia, que são confrontados com uma alma tão bela, longe de todo o pecado e sempre em atitude de oração. Na realidade, a vida de Lavínia não tem nada marcante ou particularmente grandioso, com exceção - e não é pouco - da escolha da união mística com Deus; da fidelidade evangélica; e de ser um modelo que inspire qualquer mulher, casada e com filhos, a colocar em prática a perfeição do Sermão da Montanha, dirigido não só aos Apóstolos, mas a todos os discípulos de Cristo”.

Dona de casa, mestra, caridosa

A beata Lavínia Sernardi é um exemplo extraordinário para a Igreja de hoje. Ela nos mostra que é possível ser santa em todas as formas de vida e vocação, inclusive na vida de casados e na vida de família. Ela ensina a todos que a vida em família pode e deve ser santa, animada por de virtudes heroicas, que são vividas no dia a dia, nas condições comuns da existência humana. Ela dedicou sua vida ao que realmente leva à santidade: as obras de misericórdia e caridade vividas no cotidiano.

Morte

A beata Lavínia Sernardi faleceu no dia 15 de setembro de 1623, tendo apenas trinta e cinco anos. Seu funeral foi realizado na Igreja de Nossa Senhora dos Montes, dos franciscanos, por causa da multidão que quis se despedir dela. Ali também ela foi sepultada. Rapidamente seu túmulo tornou-se destino dos peregrinos por causa dos milagres atribuídos à intercessão de “santa Lavínia”, como a chamavam.

Oração a Santa Lavínia

“Ó Deus, que destes a Santa Lavínia a graça de viver o vosso profundo amor no cotidiano da vida, nas pequenas coisas do dia a dia, dai também anos a graça de vivermos tal amor, em casa, na família, junto daqueles que estão sempre conosco. Que o vosso amor inunde nossa família pela intercessão da Beata Lavínia Sernardi, amém.”

Veja alguns produtos de Outros Santos